28

jun

E se ela falar não?

Dia dos namorados passou. Tivemos vários Pedidos de Casamento por aqui. Um mais lindo que o outro. Todos planejados com muito amor, carinho e atenção aos mínimos detalhes.

Uma parte importante do nosso trabalho é conversar antes com o futuro noivo ou noiva e buscar entender o relacionamento dos dois e o que está motivando o Pedido. É nessa hora que vão surgindo as ideias mais criativas.

Mas, nem sempre é assim. Algumas vezes também é nessa hora que observamos alguns problemas na relação, e a nossa orientação é sempre que se resolva esses problemas antes de fazer a esperada pergunta. Assim, evitamos que o nosso cliente passe por qualquer situação embaraçosa. Faz parte do trabalho. E ficamos feliz quando conseguimos ajudar a solucionar esses problemas, mesmo que a solução seja deixar para depois o Pedido de Casamento.

Essa semana tive contato com uma matéria do site “Vice” que mostra justamente o quão desastroso pode ser tentar resolver problemas do relacionamento fazendo o “Pedido”. Olha só:

“Três histórias deprimentes sobre pedidos de casamento que deram errado”

Não deve ter muita coisa pior que alguém recusar seu pedido de casamento. Procure “pedido de casamento fail” no YouTube e você vai achar vários vídeos de pessoas passando essa vergonha. Cada um é mais difícil de assistir que o outro. Por alguma razão, muitos deles parecem acontecer em shoppings, grandes monumentos ou eventos esportivos. Isso, claro, só acrescenta tristeza ao senso cavernoso de desespero: ninguém quer ser consolado por um maldito mascote de time fantasiado de tigre.

O que esses vídeos não oferecem é a chance de perguntar aos envolvidos o que eles realmente sentiram. Eu queria descobrir, então falei com três pessoas que tiveram seu pedido de casamento recusado ou que recusaram um pedido de casamento.

ARTESANATO DESASTROSO

Eu e minha namorada estamos juntos há pouco mais de um ano. Sempre deixei claro que não tinha interesse em me casar ou ter filhos. Tenho 29 e ela 25; parecia não haver problema nisso. Em outubro do ano passado, porém, ela começou a “fazer o ninho” – ela disse que me amava e começou a planejar morarmos juntos, o que achei um pouco demais.

A conversa morreu por um tempo até o dia 29 de fevereiro. Era uma tarde de domingo e minha namorada me convidou para ir à oficina de pulseiras dela. Chegando na sala cheia de mulheres de meia idade e fios coloridos, minha namorada estava sentada no fundo. Fazia mais pulseiras. Sentei na frente dela e ela me passou um caixa cheia de coisas para que eu fizesse minha própria pulseira. A caixa tinha um punhado de letras para colocar na pulseira. Olhando dentro da caixa, percebi que as letras diziam: “Casa comigo?”

(Continue lendo aqui)

Constrangedor, não é!? E mais um motivo para contar com a nossa ajuda. Oferecemos esse trabalho gratuitamente. Nunca deixamos que um cliente decida fazer o Pedido de Casamento sem termos certeza de que ele vai ouvir um sim. Faz parte do trabalho!

Se você tem essa dúvida a nossa Pirâmide do Sim pode te auxiliar. Coloque em prática o que propomos aqui e depois  nos conte o resultado. Estamos sempre torcendo por você!

Voltar

Deixe um comentário

*